Quais são os limites da arquitetura e como ela pode sugerir uma alternativa política para a vida comunitária? Como ela pode alcançar a ação social?

Essas foram algumas perguntas que guiaram o projeto realizado em Ormuz, um porto localizado no Golfo Pérsico, no sul do Irã, que controla o  carregamento de petróleo do Médio Oriente. A empresa ZAV Architects foi contratada para construir uma residência cultural com multiusos, que pudesse conectar a vida do povo local com os visitantes, ambos cultural e economicamente, O local recebeu o nome de Majara, que significa “aventura”.

Archdaily | Presence in hormuz - Zav Architects

A arquitetura tem a capacidade de ser uma mediadora e pode convergir os interesses de diferentes grupos, de diversas classes ou status sociais. Nesse sentido, Majara se tornou uma forma de união entre o povo local, que se tornou parceiro do projeto junto com os investidores e os donos de terras ao redor do porto.

O processo de planejamento teve o objetivo de encorajar a participação do povo local e a inclusão dos interesses deles nas intervenções realizadas na ilha.

O projeto foi feito com vários domos, estruturas muito familiares na região, construídos com a técnica de adobe de Nader Khalili, que utiliza areia e terra batida. A intenção com esse tipo de construção é torná-la compatível com as capacidades de construção de artesãos locais e trabalhadores não qualificados.

Archdaily | Presence in hormuz - Zav Architects

A arquitetura pode se tornar uma proposta de intervenção social, criando alternativas e planejando diversas soluções que podem ser encontradas para o benefício da comunidade. É interessante perceber que as pessoas também podem ser envolvidas nos planejamentos e execuções de cada projeto.

Algumas propostas de intervenção acontecem pelo mundo todo e a partir de diversas formas de atuação. Aqui no Brasil, existe um projeto que atua na área da educação por meio do desenho e criação de espaços preparados para as crianças em uma escola ou oficinas de capacitação para que elas se desenvolvam ainda mais.

O projeto Abrace uma Escola é uma Associação Civil que desenvolve parcerias com escolas públicas e outras entidades de educação que atuam com recursos limitados. Um dos objetivos do projeto é adequar o ambiente escolar a partir da remodelação dos espaços e o outro, como o próprio projeto define, é reconhecer a dedicação de professores, profissionais e da comunidade, oferecendo capacitação em novas tecnologias e oficinas sustentáveis para fomentar a inovação, o lúdico e a criatividade.

Para conseguir alcançar esses objetivos, uma das ações é a criação de um parquinho sustentável e uma horta infantil. Eles são planejados de acordo com cada faixa etária e projetados para apoiar o desenvolvimento da criança. Os parquinhos são feitos com brinquedos de material reciclável e a horta infantil é planejada para que os alunos e membros da comunidade aprendam sobre educação ambiental de forma prática.

Nós aqui da Rubber participamos da execução desse projeto e gostaríamos de ouvir sua opinião sobre esses assuntos. Acompanhe nossas publicações mensais aqui no blog e nos siga em nossas redes sociais para mais conteúdos como esse. Até a próxima leitura!

Referências:

Archdaily: https://www.archdaily.com/952361/presence-in-hormuz-2-zav-architects

Abrace uma Escola: https://www.abraceumaescola.com/

20/02/2024 • 3 min

Como a arquitetura pode alcançar a ação social?

Sem categoria

Como a arquitetura pode alcançar a ação social?

Quais são os limites da arquitetura e como ela pode sugerir uma alternativa política para a vida comunitária? Como ela pode alcançar a ação social?

Essas foram algumas perguntas que guiaram o projeto realizado em Ormuz, um porto localizado no Golfo Pérsico, no sul do Irã, que controla o  carregamento de petróleo do Médio Oriente. A empresa ZAV Architects foi contratada para construir uma residência cultural com multiusos, que pudesse conectar a vida do povo local com os visitantes, ambos cultural e economicamente, O local recebeu o nome de Majara, que significa “aventura”.

Archdaily | Presence in hormuz - Zav Architects

A arquitetura tem a capacidade de ser uma mediadora e pode convergir os interesses de diferentes grupos, de diversas classes ou status sociais. Nesse sentido, Majara se tornou uma forma de união entre o povo local, que se tornou parceiro do projeto junto com os investidores e os donos de terras ao redor do porto.

O processo de planejamento teve o objetivo de encorajar a participação do povo local e a inclusão dos interesses deles nas intervenções realizadas na ilha.

O projeto foi feito com vários domos, estruturas muito familiares na região, construídos com a técnica de adobe de Nader Khalili, que utiliza areia e terra batida. A intenção com esse tipo de construção é torná-la compatível com as capacidades de construção de artesãos locais e trabalhadores não qualificados.

Archdaily | Presence in hormuz - Zav Architects

A arquitetura pode se tornar uma proposta de intervenção social, criando alternativas e planejando diversas soluções que podem ser encontradas para o benefício da comunidade. É interessante perceber que as pessoas também podem ser envolvidas nos planejamentos e execuções de cada projeto.

Algumas propostas de intervenção acontecem pelo mundo todo e a partir de diversas formas de atuação. Aqui no Brasil, existe um projeto que atua na área da educação por meio do desenho e criação de espaços preparados para as crianças em uma escola ou oficinas de capacitação para que elas se desenvolvam ainda mais.

O projeto Abrace uma Escola é uma Associação Civil que desenvolve parcerias com escolas públicas e outras entidades de educação que atuam com recursos limitados. Um dos objetivos do projeto é adequar o ambiente escolar a partir da remodelação dos espaços e o outro, como o próprio projeto define, é reconhecer a dedicação de professores, profissionais e da comunidade, oferecendo capacitação em novas tecnologias e oficinas sustentáveis para fomentar a inovação, o lúdico e a criatividade.

Para conseguir alcançar esses objetivos, uma das ações é a criação de um parquinho sustentável e uma horta infantil. Eles são planejados de acordo com cada faixa etária e projetados para apoiar o desenvolvimento da criança. Os parquinhos são feitos com brinquedos de material reciclável e a horta infantil é planejada para que os alunos e membros da comunidade aprendam sobre educação ambiental de forma prática.

Nós aqui da Rubber participamos da execução desse projeto e gostaríamos de ouvir sua opinião sobre esses assuntos. Acompanhe nossas publicações mensais aqui no blog e nos siga em nossas redes sociais para mais conteúdos como esse. Até a próxima leitura!

Referências:

Archdaily: https://www.archdaily.com/952361/presence-in-hormuz-2-zav-architects

Abrace uma Escola: https://www.abraceumaescola.com/

Para conhecer um pouco mais sobre os benefícios de um playground infantil, acesse nosso blog e confira outros conteúdos!

plugins premium WordPress